O meu noivado e as cartas que escrevi


O NOIVADO

O noivado aconteceu no dia 04 de outubro de 2011 com a nossa família como planejado, foi um jantar íntimo, só com a família e no final do jantar chamamos os amigos mais próximos para assistir o vídeo do pedido de casamento.

Resolvi de na semana do noivado escrever cartas, pois sabia que perto do casamento não iria conseguir entregar, nem conseguir escrever pensando nos preparativos, por isso fiz uma carta para minha mãe, meu pa(i)drasto, meu irmão, meus avós, sogra e noivo. Todos se emocionaram, foi lindo!

Para minha MÃE

E daqui a pouco vou estar com meu lindo vestido de noiva! E lá vou eu deixar saudades, única filha, única irmã, única menina, única principessa! Eu que estreei a maternidade em você, mãe! Foi comigo que você aprendeu a mudar a primeira frauda da sua vida! Fui a menina que chegou trazendo todo um universo de novidades: emoções, medos, encantamentos e aprendizados. Sei que crescemos juntas: eu aprendendo a ser uma boa filha e a ser eu mesma, e você, aprendendo a ser a melhor mãe do mundo.

Descobrimos duas palavras intensas: eu aprendi a dizer mãe e você, filha. Aprendemos junto o significado dessas palavras. Éramos duas sendo uma em muitos sentidos. Sangue do seu sangue, fruto do seu amor. Você que sempre me protegeu, me deu a mão, me deu asas, me ensinou a caminhar sozinha, me cobriu de beijos, me deu colo e sorrisos. Ensinou-me lições aprendidas no passado. Enquanto eu falava de fadas e princesas e você me falava de avós e gentes.

Eu tirava seu sono, mesmo assim você cantava para eu dormir.
Falam que quando um filho nasce começamos a nos despedir dele no mesmo instante. Só é seu quando está no ventre. Depois vocês mães passam a ser nossos abrigos, nossos condutores, nossos provedores sem nunca esquecer que os filhos começam a ir embora no dia que nascem. A plenitude da maternidade e a dependência dos pequenos criam uma ilusão de que será assim para sempre. Mas eles crescem em direção à independência.

Cumpre-se o ciclo da vida e é melhor que assim seja. Por isso mãe, lá vou eu.
Acho que desde a hora que nasci, sei o quanto precisei de você, dependi de você, e sem falhar você sempre esteve ao meu lado, cumprindo seu papel de mãe, crescemos juntas. Somos amigas. Mãe e filha. Ao longo desses anos rimos, choramos, brigamos, resolvemos impasses, estreitamos laços, vencemos batalhas, enfrentamos noites escuras. Contamos uma com a outra sempre. Muitas vezes você que me amparava outras eu era quem socorria sim às vezes os papéis se invertiam, e eu conseguia te ensinar a ser mãe. Às vezes me pergunto se eu dei a você o tanto quanto recebi. Sinceramente acho que não. Quero dizer que minha vida sem o seu apoio, seria completamente diferente, e por tudo que já passamos juntas, tenho certeza que fez de mim uma pessoa melhor. E lá vou eu minha mãe. Apaixonada e confiante. Ensaiando novos passos, escolhendo caminhos, encerrando ciclos. E você feliz pode dizer: dever cumprido!

Da filha, Ioninha

04 de outubro de 2011

Para o meu AMOR

Você não faz idéia da felicidade que senti quando você colocou o anel de noivado no meu dedo, o quanto me emocionei com o seu pedido, você soube se transformar no MEU príncipe encantado, você conseguiu fazer daquele um momento inesquecível, pois é por isso que me apaixonei por você, você é especial, e a felicidade toda que senti é que afinal é um sonho nosso se realizando, um compromisso eterno que nos levará a felicidade.

Casar é dividir, e assim, não importa os acertos, as vitórias, também às derrotas, mas o que vale é “jogar juntos”, o dividir as glórias, as perdas.

Escolher viver com você é escolher ser feliz, pois seria incapaz de dar conta de gerar esse sentimento sozinha, mas é assumir uma escolha que implica uma resposta: Sim! Aceito!

Aceito sofrer com você
Aceito ser também sua amiga
Aceito amar por primeiro
Aceito ser sua companheira
Aceito até o que me repudia
Aceito construir o Céu aqui, dia após dia.

Na lógica divina casar não é a soma das partes, mas dos inteiros. Duas pessoas capazes de amar sem necessariamente precisar retorno, cuidando e sendo cuidado.

Estarei sempre preocupada em dar continuidade a nossa felicidade, mas não terei medo, afinal não vou estar sozinha!

Te amo o suficiente para dizer sim no altar, pois esse SIM representa um compromisso de amor, fidelidade, lealdade, e respeito eternos! E é isso que quero para mim.

Te amo!

Sua agora noiva, Ione.

Para os meus avós

Quero que saibam minha avó, meu avô, que vocês são pessoas muito importantes para mim, pois além de avô e avó, vocês tiveram outro papel, o de pai e o de mãe. Por isso vocês tiveram um forte impacto na minha vida, meu avô mostrando como é ser um grande homem, coisa que é rara hoje em dia e minha avó mostrando como ser uma atenciosa mãe e uma incrível mulher. Seus ensinamentos vou levar comigo para sempre, bons exemplos de uma vida digna e cheia de amor. Foi com vocês que aprendi o que é carinho, educação, honestidade, gentileza, respeito, e assim vou passar aos meus futuros filhos um pouco dos “meus avós”.

E um momento tão importante na minha vida está chegando, meu casamento! E como sempre vocês estão do meu lado, parece um sonho o vovô me levar ao altar, vocês me verem vestida de noiva, me ver no altar recebendo os sacramentos do matrimônio, parece que foi ontem que estava brincando “na careca do vovô” e pedindo o colo da vovó.

Mesmo antes de ter consciência, presenciei momentos de carinho, conversas, discussões e depois gargalhadas, mãos dadas e hoje vejo o quanto aprendi com a intimidade de vocês como casal, e sei hoje que a determinação, o companheirismo, o humor e o amor, juntos, podem vencer a batalha diária que se chama casamento. Observando vocês, aprendi que o casamento se faz nos detalhes: na foto de beijo, nas brincadeiras de ciúme, nos momentos de risada, nos gostos em comum e nos emprestados, nas surpresas que o outro reserva e também nos rituais que se estabelecem ao longo dos anos, como o tocar da campainha forte do vovô para “avisar” que chegou em casa.

Vô, me comove vê o seu cuidado e a sua compreensão dos receios da vovó, e simplesmente fazendo seu papel de homem e marido.

Vó, me toca o modo como você se refere ao vovô quando ele não está, e se ele está sofrendo você também sofre como se sentisse na própria carne as suas dores. Isso só pode ser amor, o amor que vocês alimentam um pelo outro e que, às vezes, dá, sim, lugar à impaciência e à raiva, mas no dia seguinte acorda firme há 50 anos.

É difícil numa simples carta descrever o que sinto e sempre aprendi estando do lado de vocês, estou muito muito muito feliz por ter um noivo maravilhoso, que sei que serei feliz, por outro lado me entristece saber que vou ficar mais distante de casa, da nossa casa, mas são os ciclos da vida! Fico contente por estar pulando mais uma etapa da minha vida, da qual sem vocês não iria conseguir, foi com o apoio, atenção, a dedicação e amor de vocês por mim que consegui chegar até aqui, me pergunto se consegui dar o tanto que recebi, mas saibam que tentei, e amo vocês com todo o meu coração, sinto um carinho imenso por vocês.

Obrigada por um dia terem “me feito”, por estarem comigo sempre e quando mais preciso, por me nutrirem, me servirem de exemplo e também me darem esperança na solidez e na infinitude do casamento. Espero conseguir construir uma linda história de vida, assim como a de vocês!

Da neta-filha, Ioninha.

04 de outubro de 2011