Meu pedido de casamento no Douro


Meu nome é Ione, sou de Maceió, o Nuno é português, conheci ele através de uma amiga em comum em pleno carnaval de Salvador em 2008, estava estudando em Curitiba na época e tinha me candidatado para o intercâmbio durante 1 ano na Faculdade de arquitetura da Universidade do Porto, foi no meio de um bloco que a gente se falou pela primeira vez, falei rapidamente sobre a história da transferência, e ele disse que era do Porto e  lembro de ficar surpresa pela coincidência.

Em agosto de 2008 fui estudar no Porto e em janeiro de 2009 começamos a namorar, mas em julho meu ano do intercâmbio acabaria e sabíamos que a relação à distância ia ser praticamente impossível, até que tomei a decisão de ir para Curitiba em julho, fazer minha mudança e tentar transferência na Universidade do Porto. Foi uma decisão muito difícil, a Universidade do Porto é uma das mais difíceis do país, fiz várias provas, o medo de não conseguir era enorme. Consegui a transferência e acabei meus estudos em julho de 2011. Com o fim da faculdade, claro que precisávamos fazer planos, ou continuava no Porto com ele ou voltava para o Brasil, falar em casamento era inevitável.

Em agosto de 2011 o Nuno disse que iria me pedir em casamento e já que falei que fazia questão de casar em Maceió, pelo menos o noivado ele queria no Porto, ele é perfeccionista, planeja tudo nos mínimos detalhes, tentou fazer surpresa aos meus pais e avós, mas não conseguiu e marcamos a data do noivado, 04 de outubro de 2011 no Porto.

Esperava um pedido de casamento antes da data marcada para o noivado. Mas tiveram tantas oportunidades, em Paris, nos Lençóis Maranhenses e tantas outras viagens e lugares incríveis que fomos e ele nada de pedir! Já estava achando que ele não ia mais pedir e que só íamos ter o noivado com a família.

Estava em Maceió e fui para o Porto no dia 21 de setembro de 2011 logo cedo de manhã, já sabendo que íamos viajar para o Douro depois do almoço com uns estrangeiros do trabalho dele, uma espécie de viagem de trabalho. Então arrumei uma malinha nas pressas, almoçamos e fomos para o Douro que ficava a 2 horas de distância do Porto de carro, antes de sair ele disse que tinha acontecido um imprevisto e os estrangeiros não chegariam a tempo. Estava tão cansada que até dormi na viagem, 2 horas depois chegamos ao hotel, maravilhoooosooooooo! Não imaginava que o Douro era um lugar tão lindo e especial…

Logo quando chegamos o funcionário do hotel disse: “Senhora, espero que não se incomode, pois temos um fotógrafo tirando fotos do hotel para o nosso website”. O funcionário disse isso porque naquela noite seria o pedido e o Nuno tinha contratado uma equipe de fotógrafo e filmagem para registrar o pedido e tentaram me enganar caso eu visse o fotógrafo. Andamos pelo hotel e fomos logo para o quarto nos arrumar para ir jantar às 19:00, no pôr do sol. Enquanto estava no banho ele saiu do quarto e disse que ia ver os passeios do dia seguinte, na verdade ele foi dar o anel para esconder no arranjo da mesa.

Notei que ele estava com alguma pressa, dizendo que não ia dar tempo de ver o sol, me arrumei correndo, mas ele sempre é nervoso com horário, então não desconfiei.

Quando chegamos à mesa vi um homem filmando a paisagem, mas não estava muito perto e o fotógrafo eu nem vi, estava escondido. Sentamos, e a vista parecia uma pintura, um lugar de filme mesmo, para ficar ainda mais perfeito chegou um violinista tocando que nem imaginei na hora que tinha sido ele que tinha contratado, o hotel era tão bom que achei que o violino era do hotel mesmo! Começou a servir as entradas e ao som do violino, aquela vista de tirar o fôlego… Não demorou muito ele tirou a caixa do anel de dentro do arranjo da mesa, se ajoelhou (!!!) e fez a tão sonhada pergunta. Não deu nem tempo de pensar e notar o nervosismo dele, foi mesmo uma surpresa, se ele tivesse feito o pedido no fim do jantar acho que teria desconfiado, ele pensou em tudo e conseguiu fazer daquele momento o mais perfeito possível e muito além do que um dia sonhei.

Depois a mesa do jantar foi no andar de cima do hotel e quando cheguei à mesa tinha um buquê lindo com 12 rosas vermelhas, o número da perfeição!!! Mais romântico que isso impossível!

E foi assim nessa cena de filme que fui pedida em casamento…

Achei maravilhosa a idéia de filmar o pedido, poder compartilhar com os amigos e família esse momento incrível.